Proibições Bizarras - Top 10 pelo Mundo - Mega Curiosidades

10 proibições bizarras ao redor do mundo

Leis são aplicadas para o bem das sociedades, mas algumas dessas proibições são bizarras demais para se acreditar que sejam para o melhor.

A história foi atormentada por proibições ultrajantes. Os governos geralmente afirmam que suas tentativas de controlar a vida de seus cidadãos são feitas por razões boas e honrosas, como segurança nacional, moral ou segurança pessoal.

Mesmo assim, muitas ações ou itens foram banidos por razões injustificáveis ou francamente bobas. Certamente, há um elemento de paranoia por trás de algumas dessas proibições tolas. Parece que nenhum país é imune. Aqui estão as proibições do governo mais estranhas de todo o mundo.

Ketchup é limitado em escolas francesas

Ketchup escola francesa

Em 2011, as escolas primárias francesas introduziram novas diretrizes dietéticas que limitam a quantidade de ketchup disponível nas cafeterias. A proibição permite que os alunos consumam batatas fritas uma vez por semana, e só então eles podem ter ketchup. Mas usar ketchup em pratos tradicionais franceses é completamente proibido no nível do ensino fundamental.

O objetivo: garantir que as crianças estejam familiarizadas com as receitas francesas para que possam passar para a próxima geração. Embora as autoridades não tenham divulgado por que acreditam que os pratos franceses estão sob cerco, é bastante fácil de decifrar.

A França é um grande mercado para várias cadeias de restaurantes internacionais como o McDonald’s. As autoridades francesas acreditam que uma comida estrangeira mais deliciosa e atraente pode representar uma ameaça à popularidade local dos pratos tradicionais da França.

Fazer careta é proibido em Milão

Fazer careta em milão

Em Milão, é ilegal franzir o rosto, exceto durante funerais ou visitas hospitalares. Os regulamentos da cidade exigem que todos mantenham sorrisos em seus rostos. Caso não seja possível, pode resultar em uma multa.

No entanto, não se preocupe. Esta lei foi decretada quando a Áustria governou Milão no século XIX. Simplesmente nunca foi revogado. Embora não possamos dar aconselhamento jurídico, você pode estar seguro de ser processado se você se esquecer de sorrir por algum motivo na bela cidade de Milão.

Educação sexual é proibida em Uganda

Educação sexual proibida

Muitos países se orgulham de sua capacidade de fornecer educação reprodutiva para a geração mais nova. Em Uganda, é bem o contrário. A educação sexual abrangente é proibida no país da África Oriental e a proibição é rigorosamente aplicada.

Várias organizações sem fins lucrativos estão fazendo campanha para que a proibição seja revogada porque é vista como uma ameaça para o desenvolvimento social em Uganda e pode aumentar a taxa em que os cidadãos contraem HIV e AIDS. O embaixador da Holanda em Uganda também condenou a proibição.

Enquanto isso, escolas, defensores e organizações não-governamentais não sabem como ensinar um assunto que muitos deles argumentam que é vital para o futuro dos adolescentes de Uganda. Alguns professores até temem que seja ilegal responder as perguntas dos alunos sobre sexo.

Em 2017, um processo civil foi arquivado pelo Centro de Direitos Humanos e Desenvolvimento Humano sem fins lucrativos para forçar o governo a desenvolver uma política abrangente de educação sexual. Os tribunais ugandeses terão de decidir o assunto.

O Sarcasmo não pode na Coréia do Norte

Sarcasmo Coréia do Norte

O mundo sabe que a Coréia do Norte é o país mais isolado do mundo com o regime mais repressivo de sempre. Seu governo autoritário é conhecido por restringir os direitos humanos fundamentais, incluindo liberdade de expressão, liberdade de circulação, liberdade de reunião e muito mais.

Várias coisas que são normas em outros países são proibidas na Coréia do Norte, mas uma é especialmente incomum, a proibição do sarcasmo. Os cidadãos norte coreanos não têm permissão para fazer comentários sarcásticos sobre o regime totalitário de Kim Jong Un em suas conversas diárias. A crítica indireta do governo também foi proibida.

Os moradores foram avisados ​​contra a crítica do estado em uma série de reuniões de massa realizadas por funcionários em todo o país. Um oficial de segurança do Estado organizou pessoalmente uma reunião para alertar os moradores locais sobre potenciais ações hostis por elementos rebeldes internos.

Certas expressões são proibidas pelo regime, incluindo “Isto é culpa da América”. Este comentário sarcástico por parte dos cidadãos tornou-se popular como uma forma de zombar do hábito de Kim Jong Un de culpar os Estados Unidos por todos os problemas da Coréia do Norte.

Depois de aprender disso, o regime proibiu esses tipos de comentários dentro do país. Outro exemplo: “Um tolo que não consegue ver o mundo exterior”. Esta expressão tornou-se bastante popular entre alguns norte-coreanos. Refere-se ao caráter isolacionista do líder supremo norte-coreano.

A frase nasceu em 2016, quando Kim Jong Un não foi para celebrações anuais para marcar o fim da Segunda Guerra Mundial na Rússia e na China.

Jeans estão proibidos na Coréia do Norte

Jeans proibidos

Em uma aparente repressão à roupa ocidental, a liderança norte-coreana proibiu seus cidadãos de usar jeans. As restrições ao influxo da cultura ocidental, a moda e o estilo são uma questão de âmbito nacional na Coréia do Norte. Mas a proibição de jeans é principalmente focada nas províncias de North Hamgyong e Yanggang, próximas da China.

As autoridades da Coréia do Norte estão preocupadas com o fato das pessoas que vivem nessas áreas estarem mais expostas ao mundo exterior e podem ser influenciadas pela moda e cultura ocidentais. As escolhas de roupas dos cidadãos são geralmente monitoradas por um grupo crescente de jovens leais a Kim Jong Un. A unidade de inspeção também almeja tendências capitalistas assumidas, como o comprimento das saias, a forma dos sapatos e penteados.