Melhor Club do mundo e ciclone bomba no Green Valley

Sempre no topo do ranking dos melhores clubs do mundo, Green Valley sofre as consequências de um evento natural conhecido como ciclone bomba.

Há um ranking da revista Housemag dos melhores clubs do Brasil e do mundo. O Green Valley, localizado em Caboriú – Santa Catarina, sempre esteve na primeira posição. No entanto, hoje o club enfrenta um contratempo causado por evento natural, o ciclone bomba. Em 30 de junho deste ano (2020), o temporal atingiu Santa Catarina e derrubou toda a sua estrutura.

Green Valley

É um lugar favorito dos amantes da música eletrônica, onde artistas do mundo inteiro apresentam suas habilidades como DJ. Além disso, todo ano o Réveillon vibra positivamente no Club, recebendo até pessoas famosas. Infelizmente, a força da natureza acabou estragando as expectativas neste ano de 2020 para o Green Valley.

Club Green Valley

O club Green Valley deu início ao seu projeto em 2007, quando fez seu primeiro evento em um espaço aberto e rodeado por florestas. De antemão, como protagonista da festa foi Carl Cox, um DJ britânico e também produtor do gênero house e techno. Assim deu a todos um belo momento único de satisfação de prestigiar vertentes sonoras de qualidade em um espaço natural aberto.

Numa noite de céu estrelado, as pessoas curtiam a música até o amanhecer, quando cenários incríveis se revelavam para a multidão. Neste ambiente, todos também recebiam rajadas de CO2 como forma de “refrescar” na intensidade da dança. Isso sem contar a estrutura artística do lugar com iluminação combinada com efeitos visuais encantadores.

Desde então, Green Valley sempre seguiu inovando e investindo cada vez mais em seu nome. Dessa forma, até antes do evento ciclone, o club estava no topo da lista dos melhores do mundo. É realmente um imprevisto que vai levar um bom tempo para se estabelecer ao topo novamente.

Ciclone bomba Brasil

Ciclone bomba Brasil

O ciclone bomba não só causou estragos no Green Valley, como também deixou rastros em várias regiões do Brasil. Principalmente nos Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, que foram os pontos mais críticos. Esses eventos extratropicais, segundo o meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) Heráclio Alves, são comuns em áreas de baixa pressão atmosférica.

Publicado em: Ciência