Lagostas e caranguejos sentem dor?

Na Suíça, por exemplo, é ilegal cozinhar uma lagosta viva. Aprenda o que os cientistas pensam sobre se lagostas sentem dor.

O método tradicional de cozinhar uma lagosta, fervendo-a viva, levanta a questão de saber se as lagostas sentem ou não dor. Essa técnica de cozinhar (e outras, como armazenar a lagosta viva no gelo) é usada para melhorar a experiência gastronômica dos humanos. Lagostas apodrecem muito rapidamente depois que morrem, e comer uma lagosta morta aumenta o risco de doenças transmitidas por alimentos e reduz a qualidade de seu sabor. No entanto, se as lagostas são capazes de sentir dor, esses métodos de cozimento levantam questões éticas para chefs e comedores de lagosta.

Como os cientistas medem a dor

Até a década de 1980, cientistas e veterinários eram treinados para ignorar a dor animal, com base na crença de que a capacidade de sentir dor estava associada apenas a uma consciência superior.

No entanto, hoje, os cientistas veem os seres humanos como uma espécie de animal e aceitam amplamente que muitas espécies (tanto vertebrados quanto invertebrados) são capazes de aprender e algum nível de autoconsciência. A vantagem evolutiva de sentir dor para evitar lesões torna provável que outras espécies, mesmo aquelas com fisiologia diferente dos humanos, possam ter sistemas análogos que lhes permitam sentir dor.

Se você der um tapa na cara de outra pessoa, poderá avaliar o nível de dor pelo que ela faz ou diz em resposta. É mais difícil avaliar a dor em outras espécies porque não podemos nos comunicar tão facilmente. Os cientistas desenvolveram o seguinte conjunto de critérios para estabelecer uma resposta à dor em animais não humanos:

Demonstrando uma resposta fisiológica a um estímulo negativo

  • Ter um sistema nervoso e receptores sensoriais.
  • Tendo receptores opióides e mostrando uma resposta reduzida aos estímulos quando administrados anestésicos ou analgésicos.
  • Demonstrando aprendizado de esquiva.
  • Exibindo o comportamento protetor das áreas lesionadas.
  • Optar por evitar um estímulo nocivo ao suprir alguma outra necessidade.
  • Possuir autoconsciência ou capacidade de pensar.

Se as lagostas sentem dor

lagostas

Os cientistas discordam sobre se as lagostas sentem ou não dor. As lagostas têm um sistema periférico como os humanos, mas, em vez de um único cérebro, possuem gânglios segmentados (aglomerado de nervos). Devido a essas diferenças, alguns pesquisadores argumentam que as lagostas são muito diferentes dos vertebrados para sentir dor e que sua reação a estímulos negativos é simplesmente um reflexo.

No entanto, lagostas e outros decápodes, como caranguejos e camarões, satisfazem todos os critérios para uma resposta à dor. As lagostas guardam seus ferimentos, aprendem a evitar situações perigosas, possuem nociceptores (receptores de lesões químicas, térmicas e físicas), possuem receptores opióides, respondem aos anestésicos e acredita-se possuir algum nível de consciência. Por esses motivos, a maioria dos cientistas acredita que ferir uma lagosta (por exemplo, armazená-la no gelo ou fervê-la viva) causa dor física.

Devido à crescente evidência de que os decápodes podem sentir dor, agora está se tornando ilegal ferver lagostas vivas ou mantê-las no gelo. Atualmente, cozinhar lagostas vivas é ilegal na Suíça, Nova Zelândia e na cidade italiana Reggio Emilia. Mesmo em locais onde lagostas ferventes permanecem legais, muitos restaurantes optam por métodos mais humanos, tanto para apaziguar a consciência do cliente quanto porque os chefs acreditam que o estresse afeta negativamente o sabor da carne.

Resumo

O sistema nervoso central de uma lagosta é muito diferente do de humanos e outros vertebrados. Então alguns cientistas sugerem que não podemos dizer definitivamente se as lagostas sentem ou não dor.

No entanto, a maioria dos cientistas concorda que as lagostas sentem dor com base nos seguintes critérios: possuir um sistema nervoso periférico com receptores apropriados, reação a opióides, proteger ferimentos, aprender a evitar estímulos negativos e optar por evitar estímulos negativos por atender a outras necessidades.

Colocar lagostas no gelo ou fervê-las vivas é ilegal em alguns locais, incluindo Suíça, Nova Zelândia e Reggio Emilia.

A maneira mais humana de matar uma lagosta é por eletrocussão, usando um dispositivo chamado CrustaStun.

Publicado em: Animais