Engenharia Florestal 2020: a esperança do planeta - Mega Curiosidades

O futuro do planeta está nas mãos dos engenheiros florestais

Em meio ao caos que a Terra vem sofrendo, conheça a engenharia florestal, o estudo que pode reverter esta situação no futuro!

Engenharia Florestal é, incondicionalmente, uma disciplina única, tal como é a peça chave para um futuro melhor a todos os seres da Terra. Levando-se em consideração os fatores que influenciam no regresso planetário, é indispensável formar e generalizar diretrizes conscientes!

Sendo um programa de estudos oferecido por muitas universidades em todo o mundo. É também o assunto principal de três revistas científicas internacionais, três importantes conferências cientificas e uma divisão de União Internacional de Organizações de Pesquisa Florestal. Isso aponta para uma forte inspiração, um entendimento geral comum e uma forte diversificação local. Esse artigo pretende sugerir geralmente definições válidas, oferecendo uma descrição das principais realizações e uma hipótese sobre direções futuras.

A revisão identificou exemplos que incluem mecanização de alto nível, início da automatização e otimização do sistema e, especificamente, o campo emergente de integração de biomassa e energia como referências das principais realizações de engenharia florestal da última década. Níveis mais altos de automação, incluindo operação autônoma da máquina e integração de tecnologia inteligente e vinculada, são modelo de direções futuras. Dito isto, como em outras disciplinas, a maioria dos estudos, pesquisas ou aplicações são multidisciplinares.

No entanto, a revisão destacou conquistas específicas e orientações futuras que ajudam a definir a Engenharia Florestal como uma disciplina que pode dar uma grande contribuição ao campo mais amplo das práticas de manejo do ramo.

Ciência Florestal

profissional da engenharia florestal

Desde então, é um termo e disciplina habitualmente associados ao campo mais amplo da Ciência Florestal e às operações florestais. Do mesmo modo, uma definição é frequentemente ambígua e pode não ser interpretado como uma disciplina única. Nas universidades, isso pode referir-se a um programa ou qualificação separada, ou usada para colocar uma ênfase operacional num processo amplo.

Na prática, industrialmente, isso pode referir-se a um conjunto relativamente único de atividades. Igualmente, às vezes limitado apenas ao desenvolvimento da infraestrutura e à arquitetura dos equipamentos, ou pode se expandir para incluir colheita, segurança e gestão ambiental. Em algumas regiões do mundo, um engenheiro florestal é uma pessoa qualificada e certificada para elaboração e requisitos de uma supervisão.

Existem 500 universidades e faculdades no mundo, oferecendo ensino superior a possíveis gestores da área. Embora as questões ambientais pareçam ter sido o foco principal da maioria dessas instituições no passado recente, as operações costumam fazer parte dos currículos e vários desses institutos oferecem programas de graduação em Engenharia Florestal.

Os estudantes são, em primeiro lugar, instruídos na disciplina de engenharia e, em seguida, recebem material do curso específico para diferenciá-los dos engenheiros civis ou mecânicos. Em outros lugares, os programas do mesmo são baseados num currículo básico de Ciências Florestais, reforçados nos seus componentes operacionais, bem como pesquisa, organização, seleção de sistemas de construção e colheita.

Onde estudar Engenharia Florestal

estudar engenharia florestal

Enquanto mais de 100 periódicos são identificados como específicos da silvicultura, ao nível internacional, três regulares científicos são especificamente dedicados à disciplina de engenharia florestal e publicam artigos de revisão por pares de alta qualidade em inglês. Para isso, basta pesquisar por jornais estrangeiros, ou seja, “websites” dedicados ao assunto.

Além disso, os artigos de estudos são publicados em muitos outros periódicos que tratam de diversos assuntos, incluindo silvicultura, engenharia agrícola e energia. A Engenharia Florestal também é foco de pelo menos três conferências científicas internacionais regulares. Isto é, a cada ano uma convenção é feita em algum lugar da Europa ou nos EUA.

De fato, o FORMEC e o COFE se unirão em 2020 para combinar as suas conferências anuais, de modo a aumentar as suas respetivas redes e impactos, o que representa um passo importante para o estabelecimento de uma plataforma global de colaboração. Ao mesmo tempo, a União Internacional da Organização de Pesquisa Florestal (IUFRO) já oferece um local para encontro global com o seu grupo dedicado aos assuntos, que tem o objetivo de fortalecer o estudo, promover a cooperação estratégica e a comunicação com especialistas em outras técnicas engenhosas.

Tudo isso indica a existência de algum acordo geral sobre a importância deste campo de estudo, juntamente com uma forte diversificação local. Também deve ser considerado mais uma oportunidade do que um obstáculo à comunicação. Além disso, o conhecimento florestal é inerentemente diverso como disciplina, porque não inclui apenas assuntos de engenharia e silvicultura. Por outro lado, porém, isso também exige um amplo conhecimento em assuntos como ecologia, impactos ambientais, segurança e saúde ocupacional.

Falta de profissionais

engenheiro florestal

Pesquisadores e profissionais dessas disciplinas estão a trabalhar em estreita colaboração com engenheiros para abordar uma ampla gama de tópicos no manejo florestal de hoje. A importância dessa complexidade e colaboração é indiretamente demonstrada pela existência de vários glossários do ramo. Observou-se que o reconhecimento para este fim diminuiu nas últimas décadas. Portanto, no que lhe concerne, resultou na diminuição de financiamento e num número cada vez menor sobre tal.

Por isso, exige-se cada vez mais dos especialistas que atinjam vários objetivos de manejo florestal. Bem como operações de restauração florestal e redução de combustível, projetadas para melhorar as funções do ecossistema e reduzir os riscos de incêndios nas matas.

O objetivo deste artigo foi oferecer uma contribuição para ajudar a definir os desafios e demandas dos profissionais protetores do planeta. Como resultado, produzir um conjunto de definições e termos relacionados à engenharia florestal, oferecendo-os à comunidade científica para que possam contribuir para a base de um debate mais aprofundado.

Nada obstante, pelo bem da humanidade e outros que aqui vivem, quanto mais organizações para fiscalização florestal, melhor e mais agradecido ficaria o nosso planeta!